História

 

No ano de 1925 foi doada por D. Carolina Vieira da Mota, uma área de terras de campos, num total de 16 há e 336 alqueires ao Senhor Bom Jesus, com a finalidade de ali se construir um patrimônio com o nome de Bom Jesus.
A escritura de doação foi lavrada no Cartório Distrital de Bananeira (Goiatuba), no ano de 1931.
No mesmo ano de 1925, os habitantes da região resolveram construir uma igrejinha coberta de palha. A partir de agosto de 1927, tiveram início algumas construções de casas e ranchos ao redor da igrejinha, dando, assim início ao Povoado de Bom Jesus.
Pela Lei Municipal n.º 56, de 23 de dezembro de 1953, foi criado o Distrito de Bom Jesus. Nessa mesma data, foi nomeado e empossado para o cargo de subprefeito municipal, Luiz Gomes de Freitas e para juiz distrital Oscar Luiz de Mendonça.

 

Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Bom Jesus (ex-povoado), pela Lei Municipal n.º 56, de 03-12-1953, subordinado ao município de Goiatuba.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o distrito de Bom Jesus de Goiás figura no município de Goiatuba.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Elevado à categoria de município com a denominação de Bom Jesus de Goiás, pela Lei Estadual n.º 4.796, de 07-11-1963, desmembrado de Goiatuba. Sede no antigo distrito de Bom Jesus (atual Bom Jesus de Goiás). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1964.
Pela Lei Estadual n.º 9.172, de 14-05-1982, é criado o distrito de Marcianópolis (ex-povoado) e anexado ao município de Bom Jesus de Goiás.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído de 2 distritos: Bom Jesus de Goiás e Marcianópolis.
Em divisão territorial datada de 1-VI-1995, o município é constituído do distrito sede. Não figurando o distrito de Marcianópolis pois o mesmo fora criado e não instalado.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2020.